REGULAMENTO 2016

Regulamento de Torneios 2016 da FBXDV

 

Capítulo I – Das Competições

 

Art. 1º - Copa Brasil para Deficientes Visuais – Classificatórias Regionais

A) – Parágrafo 1º - Serão realizadas quatro etapas regionais, onde os enxadristas pontuarão do 1º ao 20º lugar, sendo atribuídos 20 (vinte) pontos para o primeiro colocado, decrescendo até 1 (um) ponto ao vigésimo colocado de cada etapa. Além da pontuação classificatória até o vigésimo lugar, cada atleta receberá 10 (dez) pontos pela participação em cada regional, independente de sua classificação na etapa.

 

Parágrafo 2º Ao final das quatro etapas regionais serão classificados para fase final, os três primeiros colocados na somatória dos pontos de suas participações nessas etapas, além do campeão brasileiro de 2015.

 

Parágrafo 3º A semifinal será composta pelos 15 (quinze) melhores enxadristas classificados da quarta a décima oitava posição, somando-se os pontos obtidos nas etapas regionais, desde que esses enxadristas tenham participado de pelo menos duas, das quatro etapas realizadas. Juntar-se-ão a esses 15 (quinze) atletas, o melhor enxadrista classificado originário de cada região, desde que tenha participado de pelo menos duas, das quatro etapas realizadas. Além desses 19 (dezenove) jogadores, o organizador da semifinal, poderá indicar mais um enxadrista, desde que ele também tenha participado de pelo menos 2 (duas), das 4 (quatro) etapas realizadas, perfazendo um total de 20 (vinte) semifinalistas.

 

Parágrafo 4º Serão utilizados como critérios de desempate na somatória dos pontos das quatro etapas regionais, tanto para semifinal quanto para as três vagas diretas para final, além das demais categorias:

1. Melhor classificação nas etapas regionais;

2. Confronto direto;

3. Maior número de vitórias de pretas, contando todas as etapas regionais;

4. Maior rating FBXDV, calculado após a 4ª etapa regional;

 

B) - O campeão juvenil será conhecido pelo jogador dessa categoria, melhor classificado na somatória dos pontos que obteve nos quatro regionais da Copa Brasil de Xadrez para Deficientes Visuais. Consciderar-se-á juvenil o enxadrista que contar com até 23 (vinte e três) anos na data da etapa que estiver disputando. No caso de torneios internacionais subvinte, a vaga será do atleta melhor classificado nessa categoria com até 20 (vinte) anos, por questões legais e normatizações do país que realizará o torneio.

 

 C) – Classificar-se-ão as 5 (cinco) enxadristas femininas que tenham melhor pontuação na somatória dos pontos ao final dos 4 (quatro) regionais. Juntar-se-á a essas 5 (cinco) enxadristas classificadas nas etapas dos regionais, a campeã brasileira de 2015. A final feminina será disputada em 5 (cinco) rodadas no sistema shuring, com tempo de 60 minutos com 30 segundos de acréscimo por lance para cada jogadora. No caso de desistência ou impossibilidade de participação na final feminina, será convocada a enxadrista melhor classificada na somatória dos pontos obtidos nas 4 (quatro) etapas regionais, desde que tenha participado de pelo menos 2 (duas) etapas realizadas em 2016.

 

 D) - O campeão da categoria sênior será conhecido pelo jogador melhor classificado na somatória dos pontos obtidos nas etapas regionais da Copa Brasil de Xadrez para Deficientes Visuais. Consciderar-se-á sênior, o enxadrista com idade a partir de 50 (cinqüenta) anos a contar da data da etapa que estiver disputando.

 

E) - A equipe campeã do ano de 2016 será conhecida ao final das quatro etapas regionais da Copa Brasil para Deficientes Visuais, somando-se os pontos obtidos com vitórias e empates dos seus atletas em cada regional disputado em 2016.

 

 

Art. 2º Da Distribuição das etapas

 

Parágrafo 1º Copa Brasil para Deficientes Visuais – Regional nordeste, que será

composto pelas entidades filiadas dos estados da região nordeste do Brasil.

 

Parágrafo 2º Copa Brasil para Deficientes Visuais – Regional Sul, que será composta pelas entidades filiadas dos estados da região sul do Brasil.

 

Parágrafo 3º Copa Brasil para Deficientes Visuais – Regional centro-norte, que será composto pelas entidades filiadas dos estados das regiões centro oeste e norte do Brasil.

 

Parágrafo 4º Copa Brasil para Deficientes Visuais – Regional sudeste, que será composta pelas entidades filiadas dos estados da região sudeste do Brasil.

 

 

Parágrafo 5º - Os regionais serão abertos, podendo se inscrever, qualquer enxadrista vinculado à Federação, porém o enxadrista melhor classificado pertencente à entidade da região, estará classificado para semifinal, desde que ele tenha participado de pelo menos 2 (duas) das 4 (quatro) etapas realizadas.

 

 

Art. 3º – Etapa Semifinal

Composta pelas vagas pré-determinadas por esse regulamento, como se segue:

Classificar-se-ão para semifinal os 15 (quinze) enxadristas melhores classificados na somatória dos pontos das 4 (quatro) etapas Regionais, excetuando-se os 3 (três) primeiros classificados na somatória dos pontos das 4 (quatro) etapas que estarão classificado de forma direta para final da Copa Brasil de Xadrez para Deficientes Visuais, ou seja, classificarão do quarto ao décimo oitávo colocados na somatória dos pontos das 4 (quatro) etapas regionais. Juntar-se-ão a esses 15 (quinze) atletas, o melhor classificado de cada região a que pertence, desde que tenha participado de pelo menos 2 (duas) etapas, e mais 1 (um) convidado pela organização da etapa semifinal, desde que esse convidado tenha participado de pelo menos 2 (duas) etapas dos regionais da Copa Brasil de Xadrez para Deficientes Visuais de 2016, perfazendo um total de 20 (vinte) jogadores classificados para etapa semifinal. No caso de desistência ou impossibilidade de participação de um ou mais classificados, será convocado o ou a enxadrista imediatamente subseqüente na classificação da somatória dos pontos das etapas regionais, desde que tenha participado de pelo menos duas das quatro etapas regionais.

 

Parágrafo 1º: A vaga da semifinal obtida pelo jogador classificado em primeiro lugar de sua região, somente será transferida aos próximos melhores classificados da mesma região, quando esse primeiro colocado se classificar diretamente para final entre os três melhores classificados na somatória dos pontos de todos os regionais.

 

Parágrafo 2º: Os 4 (quatro) primeiros colocados da etapa semifinal estarão classificados para a Copa Brasil para Deficientes Visuais – Etapa Final.

 

Parágrafo 3º: Essa etapa valerá Rating FIDE, portanto, o ou a enxadrista deverá estar em dia com a anuidade CBX/FIDE de 2016.

 

 

Art. 4º - Etapa Final

 Será disputada com um número de oito jogadores, anteriormente classificados da seguinte forma:

 

  1. O campeão da final da Copa Brasil de 2015;
  2. Os 3 (três) melhores classificados na somatória dos pontos das etapas regionais;
  3. Os 4 (quatro) melhores classificados da etapa semifinal da Copa Brasil de Xadrez para Deficientes Visuais;

 

Parágrafo 1º: No caso de desistência ou impossibilidade de participação de um ou mais classificados, será convocado o ou a enxadrista imediatamente subseqüente na classificação da etapa semifinal.

 

Parágrafo 2º: Caso uma ou mais enxadristas femininas se classificarem para etapa final do absoluto, deverá optar por qual final quer participar, se a final feminina ou a final do absoluto.

 

Parágrafo 3º: Essa etapa valerá Rating FIDE, portanto, o ou a enxadrista deverá estar em dia com a anuidade CBX/FIDE de 2016.

 

 

 Capítulo II – Da forma de disputa:

 

Art. 5º - Circuito Classificatório

  1. Etapas regionais e semifinal:

Sistema Suíço em cinco rodadas

Ritmo de jogo: 1h00 com 30s de acréscimo por lance para relógios digitais, 90 min KO para relógios analógicos.

Sistema de desempate

1º critério: Confronto direto

2º critério: Milésimo com corte apenas do pior resultado
3º critério: Milésimo mediano

4º critério: Milésimo total

5º critério: Maior número de vitórias

 

 

Art. 6º - Fase Final

Sistema Shuring em sete rodadas

Ritmo de jogo: 1h00 com 30s de acréscimo por lance para relógios digitais, 90 min KO para relógios analógicos.

 

Sistema de desempate

1º critério: Confronto direto

2º critério: Sonneborn-Berger
3º critério: Sistema Koya

4º critério: Maior número de vitórias

5º critério: Maior número de partidas com peças pretas

 

 

Capítulo III Das obrigatoriedades dos jogadores:

 

Art. 7º - Cada jogador deverá obrigatoriamente levar para a sala de jogos, seu tabuleiro, peças e um relógio para o jogo de xadrez. O enxadrista também fica obrigado a anotar todas as suas partidas, podendo ser em planilha, reglete, gravador digital ou analógico.

 

Parágrafo 1º: Fica terminantemente proibida a utilização de celulares para gravação ou anotação das partidas, justamente pela lei da FIDE que proíbe a entrada de celulares no recinto dos jogos.

 

Parágrafo 2º: No caso do jogador descumprir a obrigatoriedade da anotação, será debitado 20 (vinte) minutos do seu tempo inicial de jogo

 

Parágrafo 3º: Se o enxadrista perceber que o adversário não esteja anotando os lances da partida, poderá solicitar ao árbitro essa verificação junto ao oponente. Caso seja confirmada a suspeita e o jogador que não está anotando tenha possibilidades de anotar, ele deverá anotar todos os lances até aquele momento da partida com seu tempo de relógio correndo. Se o jogador não tiver como anotar, serão debitado 20 (vinte) minutos do seu tempo atual de relógio.

 

Parágrafo 4º: Qualquer divergência posicional entre os tabuleiros durante a partida, julgar-se-á correta a posição no tabuleiro do jogador que estiver com sua anotação atualizada.

 

Parágrafo 5º: Caso o atleta recorra ao comitê de apelação em torneios valendo rating FIDE, será cobrada uma taxa no valor de R$100,00 (cem reais) que serão devolvidos caso sua solicitação seja julgada procedente.

 

 

Art. 8º - Das Inscrições: A Federação Brasileira de Xadrez para Deficientes Visuais se desobriga de qualquer devolução ou postergação de uso de valores referentes às inscrições de atletas que desistirem ou não comparecerem a etapa que se tenham inscrito, independente do motivo alegado.

 

OBS.: A mesma regra acima, também se aplica aos acompanhantes que desistirem ou não comparecerem para etapa que tenham realizado a inscrição.

 

 

Capítulo IV Das Premiações:

 

Art. 9º - A cada etapa regional e na semifinal os três primeiros colocados receberão um troféu e do quarto ao décimo colocados receberão uma medalha. Na final os três primeiros colocados receberão um troféu diferenciado e do quarto ao oitavo colocados receberão uma medalha.

 

Art. 10º - As três primeiras colocadas femininas de cada regional receberão um troféu e do quarto ao sexto lugar uma medalha. Na final feminina, as três primeiras colocadas receberão um troféu diferenciado e do quarto ao sexto lugar, receberão uma medalha.

 

Art. 11º - As categorias Juvenil e Sênior serão premiadas com um troféu do primeiro ao terceiro lugar, medalha do quarto ao sexto colocados a cada etapa e um troféu diferenciado do primeiro ao terceiro colocados de cada categoria na somatória dos pontos das 4 (quatro) etapas dos regionais, além de medalha do quarto ao sexto colocado.

 

 

Art. 12º - Nos quatro regionais e na semifinal serão premiados independentes da categoria que pertençam:

 

  1. – Melhor classificado com Rating FBXDV sub1800;
  2. – Melhor classificado com Rating FBXDV de 1800 a 1999;

 

Art. 13º - Nas quatro etapas regionais, as equipes/entidades serão premiadas com troféus do 1º ao 3º lugar.

 

 

SÃO PAULO, 01 DE DEZEMBRO DE 2015

ANTONIO MARCOS RICIERI

DIRETOR DE PROGRAMAÇÃO E EVENTOS - FBXDV